Acompanhe o TPBR nas redes sociais

Já assistiu a série Stranger Things? Se não, spoilers estão chegando.

A série foi repleta de referências brilhantes do cinema dos anos 80, mas não pode deixar de notar o final com uma grande referência a um dos  programas favoritos TV.

Tudo aparentemente parecia bem em Weirdsville, A família Byers  senta-se para um jantar feliz de Ação de Graças. O pequeno Will pede  licença para ir ao banheiro e é aí que as coisas tomam um rumo diferente.

Will começa a tossir, e se trata de um “resíduo” de Demogorgon viscoso que desliza  pelo cano abaixo. O menino dá um tapinha no peito, limpa a boca e retorna para sua família, sorrindo. Sinistro – mas não é a primeira vez que vimos algo como isto.

Na série Twin Peaks de David Lynch, um clássico cult dos anos 90, vimos o  Agente Dale Cooper tentando resolver o assassinato de Laura Palmer, onde teve um final muito semelhante.

O agente  Cooper, um dos únicos personagens que não é um suspeito ao longo de duas temporadas, se olha no espelho, e é lá que ele vê, o reflexo de Bob, a entidade demoníaca aterrorizante o hospedeiro, olhando para ele. A série termina. O espectador fica horrorizado.

m.

Então, o que isso significa para Will? Ele se tornará o monstro? Sua falta de surpresa e terror ao vomitar uma aberração  sugere que ele está ciente do que está acontecendo com ele. Ter o Demogorgon, como Bob, assumido? E que agora está sob seu controle?

Será que Eleven precisará retornar para salvar Mike de seu amigo e mandar o Will de volta para The Upside Down?
Vamos apenas esperar  obter uma resposta mais rápida do que os fãs de Twin Peaks.

 

Matéria original

Vocês leram certo, além da versão impressa, The Secret History of Twin Peaks será lançado nos Estados Unidos também em formato audiobook, narrado por membros do elenco.

Até agora, Kyle MacLachlanRuss TamblynMichael HorseChris MulkeyDavid Patrick Kelly são as vozes confirmadas. Do novo elenco teremos as vozes de Amy ShielsJames MorrisonRobert Knepper. E também Annie Wersching Len Cariou, que não fazem parte do elenco mas participarão do áudio.

O audiobook será lançado simultaneamente com o livro em 18 de outubro. São 10 horas de áudio em formato de CD (8 discos) ou em versão Audible (o áudio pode ser baixado após a compra). Ambos os formatos poderão ser adquiridos através da Amazon americana a partir do lançamento.

“Estou muito feliz que, tanto membros do elenco original quanto os novos atores, irão se juntar nesse projeto para trazer à vida esse outro aspecto do mundo de Twin Peaks”  declarou o autor Mark Frost.

Hoje (11/08) aconteceu a coletiva de imprensa do TCA (Television Critics Association), em que vários canais de televisão norte americanos soltam informações sobre suas futuras estreias para a imprensa. Havia muita expectativa de que os executivos do Showtime, David Nevins e Gary Levine, revelariam alguma coisa substancial sobre a terceira temporada de Twin Peaks, como a data de estreia ou o número de episódios. Infelizmente, a dupla “revelou” basicamente informações que já sabíamos e exibiu um novo vídeo promocional, que segundo fontes não teve nada de muito novo, apenas imagens de shots externos (a cachoeira, a delegacia, policiais andando em câmera lenta) mescladas com entrevistas curtas com alguns membros do elenco (Kyle MacLachlan, Kimmy Robertson, Miguel Ferrer, Robert Knepper, Jim Belushi, Dana Ashbrook, Harry Goaz e James Marshall). Ficamos na torcida para que o vídeo seja colocado na internet em breve.

No mais, Nevins e Levine disseram não ter ideia (ainda!) de quantos episódios serão e que Lynch está completamente imerso no trabalho de edição que irá moldar a nova temporada. Sobre a data de estreia, eles esperam colocar a série no ar na primeira metade de 2017. Isso desmente a informação que Ray Wise soltou na Comic Con, de que seriam 18 episódios e que a temporada estrearia durante o verão norte americano (de junho a agosto).

Nada relacionado à Twin Peaks será convencional. Tanto a forma que vamos lidar com o seriado quanto a forma que vamos promovê-lo será inconvencional. Eu quero muito aderir à excentricidade da série. É bem possível que não vamos lançá-la de uma maneira tradicional. Ainda não sei o que isso significa. Já tive algumas conversas com David, mas eu quero aderir à imprevisibilidade da coisa. Eu consigo imaginar episódios mais longos ou…será uma questão de como soltamos os episódios linearmente? Como vamos soltar os episódios para quem deseja assistir por stream? Talvez tenha uma diferença nas duas coisas.” Nevins falou aos repórteres.

Bastante curioso não? Será que a nova temporada irá inovar também na forma em que será exibida? Muito mistério…

Com tanta gente nova confirmada para a nova temporada de Twin Peaks, resolvemos introduzir alguns destes novos rostos e o que eles fizeram. Vale ressaltar que este não é o elenco completo. Para ver todos os nomes que participarão da nova temporada, incluindo os atores que voltarão aos seus papéis da série, clique aqui.

Alon Aboutboul é um ator israelense que fez, no cinema, filmes como: “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge”  (2012), “Rede de Mentiras” (2006) e o mais recente  “Invasão a Londres” (2016). Na televisão, ele fez séries como “The Leftovers“, “Blacklist – Lista Negra” e “Fringe“.

Ronnie Gene Blevins fez séries de televisão como “True Blood“, “Medium“, “Southland“, “Agents of S.H.I.E.L.D.” e “True Detective“.

A atriz Jane Adams inclui em sua filmografia filmes cultuados como “Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças” (2004), “Felicidade” (1998), “Desventuras em Série” (2004), “Garotos Incríveis” (2000) e “Pecados Íntimos” (2006).

Larry Clarke fez séries como “Law & Order“, “The Bridge“, “A Vida Secreta de uma Adolescente Americana” e recentemente, “Sense8“.

Joe Adler é um ator de televisão que recentemente fez “Grey’s Anatomy“, além de outas séries como “The Mentalist” e alguns episódios da versão americana de “Shameless“.

Jonny Coyne fez séries como “Salem“, “Mom“, além das recentes “11.23.63“, “TURN” e “The Night of“.

Stephanie Allynne é conhecida por fazer comédias independentes de festivais e curta-metragens. Fez filmes como “A Voz de uma Geração” (2013), “Pessoas, Lugares e Coisas” (2015) e a comédia “Os Caça-Noivas” (2016), que está em cartaz nos cinemas brasileiros. É eposa da comeidante Tig Notaro.

Ana de la Reguera é uma atriz mexicana que recentemente fez episódios de “Narcos“, “Jane the Virgin” e “Blacklist – Lista Negra“.

Finn Andrews é um cantor britânico de música indie e rock  alternativo. Twin Peaks será o primeiro trabalho do cantor como ator.

Hugh Dillon atuou como protagonista da série “Flashpoint” e participou de outras séries como “Continuum“, “The Killing” e “X Company“.

Chrysta Bell é uma cantora que já trabalhou com David Lynch, onde ele compôs e produziu músicas pra ela. Além de ter dirigido um de seus clipes. Recentemente, cantou no projeto “The Music of David
Lynch“.

Cullen Douglas atuou em séries recentes como “Agents of S.H.I.E.L.D.“, “Scandal
e “Criminal Minds“.

Monica Bellucci é uma atriz italiana de grande sucesso. Começou a carreira no filme “Drácula de Bram Stoker” (1992). Fez filmes com o ex-marido, Vincent Cassel, como “O Apartamento” (1996),
O Pacto dos Lobos” (2001) e “Irreversível” (2002). Mas, alcançou o sucesso ao interpretar as personagens sedutoras dos filmes “Malèna” (2000) e “Matrix Reloaded” (2003). Fez outros sucessos como “A Paixão de Cristo” (2004) e “Os Irmãos Grimm” (2005). Recentemente fez “As Maravilhas” (2014) e “007 contra Spectre” (2015).

Francesca Eastwood recentemente fez Molly Walker em “Hereos: Reborn“.

James Belushi é o irmão do falecido ator do Saturday Night Live,  John Belushi. É conhecido por protagonizar comédias como “Inferno Vermelho” (1988), “K-9 – Um Policial Bom pra Cachorro” (1989) e “A Malandrinha” (1991). Recentemente fez a mini-série da HBO “Show Me a Hero” (2015) e a comédia independente “Undrafted” (2016).

Josh Fadem fez pequenos papéis em “30 Rock” e “Better Call Saul“.

John Billingsley é conhecido por ter feito o Dr. Phlox na série derivada de Jornada nas Estrelas, “Star Trek: Entreprise“. Ele também atuou em séries como “Prision Break“, “Grey’s Anatomy“, “24 Horas“, “True Blood“, “Suits“, “Masters of Sex” e a recente “TURN“.

Eric Edelstein fez séries como “Parks and Recreation” e “Shameless“. Atuou no cinema em filmes recentes como “Jurassic World” (2015) e “Sala Verde” (2015).

Brent Briscoe já trabalhou com Lynch em “Cidade dos Sonhos” (2001), interpretando um dos detetives que investigam o acidente de carro logo no começo do filme. Ele já fez filmes como “À Espera de um Milagre” (1991) e “Cine Majestic” (2001). Recentemente fez alguns episódios da última temporada da série “Parks and Recreation“.

Jay R. Ferguson interpretou Stan Rizzo na série “Mad Men“.

Gia Carides fez a Prima Nikki na comédia romântica “Casamento Grego” (2002), assim como fez sua recente sequência (“Casamento Grego 2” (2016)). Também fez filmes como “Vem Dançar Comigo” (1992) e “Austin Powers – O Agente ‘Bond’ Cama” (1999).

Rebecca Field fez recentemente a personagem Sabine McNeil, na série “Grey’s Anatomy” e já atuou na série “The Client List“.

Michael Cera é um ator de comédia que fez sucessos como “Superbad” (2007), “Juno” (2007) e “Scott Pilgrim Contra o Mundo” (2010). Além de ter feito séries como “Arrested Development” e a recente “Wet Hot American Summer: First Day of Camp“.

Meg Foster fez séries como “Pretty Little Liars” e “The Originals“. No cinema, atuou no clássico “Eles Vivem” (1988) e “As Senhoras de Salem” (2012).

Richard Chamberlain atuou em filmes clássicos como “Inferno na Torre” (1974) e “A Última Onda” (1977). Fez alguns episódios da série “Brothers & Sisters“.

Hailey Gates atuou no recente filme “Rick and the Flash: De Volta para Casa” (2015) e participou do documentário independente “A Space Progam” (2015).

Bailey Chase fez séries como “Buffy: A Caça-Vampiros“, “Ugly Betty“, “Saving Grace” e “Longmire“. Recentemente fez o filme “Batman v Superman: A Origem da Justiça“.

Brett Gelman atuou como Dr. Greg Colter na recente série original da Netflix, “Love“. Também participou de séries como “Happy Endings“, “Go On” e “Mad Men“.

Candy Clark, em início de carreira, fez Debbie, do filme “American Graffiti” (1973). Atuou ao lado de David Bowie em “O Homem Que Caiu na Terra” (1976) e participou do filme “Zodíaco” (2007). Recentemente fez alguns episódios da série “Criminal Minds“.

Ivy George atuou em episódios da série da Disney “Girl Meets World” e em “Agent Carter“.
Também aparece no filme “Atividade Paranormal: Dimensão Fantasma“.

Scott Coffey fez um dos amigos do personagem Pete no filme “Estrada Perdida” (1997), uma ponta no final de “Cidade dos Sonhos” (2001) e dublou um dos coelhos em “Império dos Sonhos” (2006). O ator,
aparentemente conheceu Lynch nas filmagens do filme “Coração Selvagem” (1990), onde atuou em algumas cenas… que acabaram sendo deletadas na pós-produção do filme. O ator também teve rápidas aparições em dois filmes escritos pelo diretor John Hughes: “Curtindo a Vida Adoidado” (1986) e “Alguém Muito Especial” (1987).

Travis Hammer fez pontas em filmes como “O Cavaleiro Solitário” (2013), “Frank” (2013) e recentemente, em “Independence Day: O Ressurgimento” (2016). Apareceu também em séries como “The Leftovers“, “True Detective“, “American Horror Story: Hotel” e “Ray Donovan“.

Frank Collison já trabalhou com Lynch atuando em “Coração Selvagem” (1990). Além ter feito filmes como “E Aí, Meu Irmão, Cadê Você?” (2000), “A Vila” (2004) e o recente “Aprendendo com a Vovó” (2015).  E séries como “My Name is Earl“, alguns episódios de “Silicon Valley” e dublagem na série animada “Mr. Pickles“.

Hank Harris atuou no filme “Sobrenatural: Capítulo 2” (2013) e recentemente na série
Once Upon a Time” como Dr. Jekyll. Fez pontas em “Supernatural“, “Bones” e “Arquivo X“.

Grace Victoria Cox fez a personagem Melanie da série “Under the Dome“.

Virginia Kull interpretou Nan Britton em alguns episódios de “Boardwalk Empire“, além de ter
feito outras séries como “Gracepoint” e “The Good Wife“.

David Dastmalchian fez um dos hackers em “Homem-Formiga” (2015), além do filme “Os Suspeitos” (2013), uma pequena aparição em “Batman: O Cavaleiro das Trevas” (2008) e alguns episódios da série “12 Monkeys“.

Xolo Maridueña interpretou Victor Graham em “Parenthood“.

Jeremy Davies fez séries como “Lost“, “Hannibal” e “Justified“. Além de filmes como “Twister” (1996), “O Resgate do Soldado Ryan” (1998), “Dogville” (2003) e “Se Enlouquecer, Não se Apaixone” (2010). E interpretou Charles Manson no filme para televisão “Helter Skleter” (2004).

Clark Middleton fez recentemente “Blacklist – Lista Negra“, onde interpreta Glen Carter. E atuou como Edward Markham em “Fringe“, além de alguns episódios em “Law & Order“.

Rebekah Del Rio fez uma grande performance cantando uma versão em espanhol (Llorando) da música “Crying” de Roy Orbison (que inclusive, também fez parte da trilha sonora de “Prison Break“) no filme “Cidade dos Sonhos” (2001).

James Morrison fez Bill Buchanan em “24 Horas” e William White em “Private Practice“, um spin-off de “Grey’s Anatomy“.

Laura Dern, filha dos atores Bruce Dern e Diane Ladd, é provavelmente a atriz com quem David Lynch mais gosta de trabalhar. No início de sua carreira, a atriz contracenou com Kyle MacLachlan como Sandy no onírico “Veludo Azul” (1986) e interpretou um romance com Nicolas Cage em “Coração Selvagem” (1990). E então, interpretou a Dra. Ellie em “Jurassic Park” (1993) e “Jurassic Park III” (2001). A atriz criou uma série junto com Mike White (roteirista de episódios de “Dawson’s Creek” e “Freaks and Geeks“, além do filme “Escola de Rock“) chamada “Enlightened“. Trabalhou novamente com Lynch, protagonizando o suspense “Império dos Sonhos” (2006) e recentemente fez filmes como “A Culpa é das Estrelas” (2014) e “Livre” (2014), pelo qual foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante.

Max Perlich teve uma pequena participação em “Curtindo a Vida Adoidado” (1986) e atuou em “Profissão de Risco” (2001). Além de aparecer em séries como “Gilmore Girls” e “Justified“.

Sky Ferreira é uma cantora alternativa que também participou do evento “The Music of David Lynch“, onde cantou “Blue Velvet“. A cantora participou do recente filme “Elvis & Nixon” (2016).

Ethan Suplee fez filmes como “Procura-se Amy” (1997), “A Outra História Americana” (1999) e recentemente, fez “O Lobo de Wall Street” (2013).

Patrick Fischler interpretou Dan, o homem que vê o mendigo atrás da lanchonete, em “Cidade dos Sonhos” (2001). O ator também atuou em séries como “Mad Men“, “Lost“, “Californication“, “Once Upon a Time“, “Silicon Valley” e recentemente em “Suits“.

Jessica Szohr fez Vanessa Abrams em “Gossip Girl“.

Balthazar Getty interpretou Pete Dayton no filme “Estrada Perdida“, de Lynch. Além de ter feito séries como “Alias: Codinome Perigo” e “Brothers & Sisters“.

Greg Vrotsos já fez aparições em séries como “Vinyl“, “New Girl” e “Parks and Recreation“.

Ernie Hudson atuou em “Os Caça-Fantasmas” (1984) e apareceu recentemente em “Caça-Fantasmas” (2016). Interpretou Warden Leo Glynn em “Oz“, além de aparecer em séries como “St. Elsewhere“, “Desperate Housewives“, “Law & Order” e “Grey’s Anatomy“. Também é o Miles em “Modern Family” e o Jacob em “Grace & Frankie“.

Karolina Wydra fez séries como “Justified“, “True Blood“, “House” e fez filmes como “Rebobine, Por Favor” (2008) e “Amor a Toda Prova” (2011).

Caleb Landry Jones fez filmes como “Antiviral” (2012) e “Amor, Drogas e Nova York” (2013). Interpretou Banshee em “X-Men: Primeira Classe” (2011) e Louis em alguns em episódios de “Breaking Bad“.

Robert Knepper interpretou o T-Bag em “Prison Break” e fez outras séries como “Hereos“,
Arrow” e “iZombie“.

Ashley Judd fez filmes como “Fogo contra Fogo” (1995), “Possuídos” (1998), “Crimes em Primeiro Grau” (2002), “Frida” (2002) e recentemente fez “Divergente” (2014) e as continuações da saga.

David Koechner interpretou Todd Packer em “The Office“, Champ Kind em “O Âncora – A Lenda de
Ron Burgundy” (2004) e “Tudo Por um Furo” (2013), e o Tio Earl em “Hannah Motana“. O ator também dubla muitas séries animadas como “Beavis and Butt-Head“, “American Dad!“, “Apenas um Show” e “F is For Family“.

Nicole LaLiberte fez Arlene Schram em alguns episódios de “Dexter“.

Jennifer Jason Leigh é mais uma grande estrela nesse novo elenco. A atriz foi recentemente indicada
ao Oscar por seu papel como Daisy Domergue em “Os Oito Odiados” (2015), mas sua carreira não é de hoje. Desde que começou a atuar, fez filmes como “Picardias Estudantis” (1982), “Mulher Solteira Procura…” (1992), “Short Cuts – Cenas da Vida” (1993), “Na Roda da Fortuna” (1994) e “eXistenZ” (1999). Recentemente fez “Versos de Um Crime” (2013) e dublou a Lisa em “Anomalisa” (2015).

Jane Levy interpretou Mandy Milkovich na versão britânica de “Shameless” e foi Tessa Altman em
Suburgatory“. A atriz também protagonizou o filme “A Morte do Demônio” (2013).

Matthew Lillard simplesmente é o Salsicha dos filmes de live-action do Scooby-Doo. Além de ter feito
o Stuart em “Pânico” (2000) e Brock em “Ela é Demais” (2000). O ator recentemente fez pequenos papéis em séries como “The Good Wife” e “The Bridge“.

Karl Makinen fez alguns episódios de “Prison Break“, “Hawaii Five-0“, “Desperate Housewives“. O ator apareceu recentemente em um episódio de “How to Get Away with Murder“.

Bérénice Marlohe interpretou Severine no filme “007 – Operação Skyfall” (2012) e protagonizou o filme “Encontro Marcado” (2014) ao lado do falecido Anton Yelchin.

Josh McDermitt é o Dr. Eugene Porter em “The Walking Dead” e fez alguns episódios em “Mad Men“.

Ben Rosenfield fez filmes recentes como “O Ano Mais Violento” (2015), “Homem Irracional” (2015)
e “6 Anos” (2015). Além de ter atuado alguns episódios de “Boardwalk Empire“.

Tim Roth fez filmes como “Cães de Aluguel” (1992), “Pulp Fiction – Tempo de Violência” (1994),
Rob Roy: A Saga de uma Paixão” (1995), filme pelo qual foi indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, “O Incrível Hulk” (2008), “Selma” (2014) e mais recentemente “Os Oito Odiados” (2015). Também protagonizou a série “Lie to Me“.

Amanda Seyfried, mais uma estrela no elenco, começou a atuar em “Meninas Malvadas” (2004). E então fez vários filmes de grande público como “Mamma Mia!” (2008), “Cartas Para Julieta” (2010), “O Preço do Amanhã” (2011) e”Os Miseráveis” (2012). Recentemente fez “Enquanto Somos Jovens” (2014) e “Pais e Filhas” (2016).

John Savage atuou em filmes memoráveis como “O Franco Atirador” (1978), “Hair” (1979), “O Poderoso  Chefão III” (1990) e “Além da Linha Vermelha” (1998). Também fez a série “Star Trek: Voyager“.

Tom Sizemore fez filmes como “Amor à Queima-Roupa” (1993), “Assassinos por Natureza” (1994), “Fogo Contra Fogo” (1995), “O Resgate do Soldado Ryan” (1998) e “Falcão Negro em Perigo” (2001). Recentemente, apareceu em séries como “Lucifer” e “Law & Order: Special Victims Unit“.

Naomi Watts aqui terá sua terceira parceria com David Lynch. No começo da sua carreira, fez “Cidade
dos Sonhos” (2001). Logo após, veio o sucesso com “O Chamado” (2002), “King Kong” (2005), “Violência Gratuita” (2007), “Birdman” (2014) e, recentemente, “Demolition” (2015). Dublou um dos coelhos em “Império dos Sonhos” (2006). Foi indicada ao Oscar por “21 Gramas” (2003) e “O Impossível” (2012).

Eddie Vedder é um cantor folk que fez a trilha sonora do filme “Na Natureza Selvagem” (2007). Suas
canções já tocaram em filmes como “Os Últimos Passos de um Homem” (1995), “Comer, Rezar, Amar” (2010),  “50%” (2011) e “Jovens Adultos” e em séries como “Grey’s Anatomy“, “Sons of Anarchy“, “Cold Case“, “Parenthood” e “How I Met Your Mother“.

Charlyne Yi fez as séries “Love” e “House“, além dos filmes “Ligeiramente Grávidos” (2007) e “Cloverfield” (2008).

Sharon Van Etten é uma cantora de música indie que teve suas músicas na trilha sonora de séries como “Parenthood“, “Grey’s Anatomy” e “Boardwalk Empire“. É a terceira vez que a cantora atua.

 

capa

À medida que entramos no mundo de Twin Peaks, o protagonista Agente Dale Cooper (interpretado por Kyle MacLachlan) chega para investigar o assassinato enigmático de uma popular garota loira do ensino médio, Laura Palmer (interpretada por Sheryl Lee). Baseado em um assassinato não solucionado do co-diretor de Twin Peaks e cidade natal do criador Mark Frost, Laura vai funcionar como o ponto inicial para o arco do show. No entanto, conforme o  agente Cooper desvenda a história real da morte de Laura, a verdade envolve uma conspiração muito maior do que o originalmente concebido. Com seus métodos pouco ortodoxos e divinatórios de resolução de crimes, Cooper surpreende aplicação da lei local com o conceito de utilização de sincronicidade para associar nomes semelhantes com objetos inanimados em um jogo de rock toss. Esta prática estranha irá configurar Cooper tanto como uma figura clássica de detetive ao longo das linhas de Sam Spade, mas também conceder um lado místico do qual ele vai chamar para perscrutar a psicosfera. Couliano escreve, citando Eliade do xamã em termos descritivos que capturam o espírito de uma obra Lynch:

“Mircea Eliade define xamanismo não como religião propriamente dita, mas como uma” técnica de êxtase “, um sistema de métodos de êxtase e terapêuticos cuja finalidade é obter contato com o universo paralelo dos espíritos e para ganhar seu apoio para lidar com os assuntos de um grupo ou de um indivíduo.” (Out of This World, pg. 38)

A má Laura e sua dublê, a boa Maddy Ferguson.

Lynch, por meio de Cooper, está desenhando em uma noção oriental altamente complexa e profundamente enraizado de associação formal e essencialista que se estende para além do espaço imediato de tempo. O palco está assim definido para Cooper para ser muito mais do que um detetive inteligente, vemos o surgimento de seu papel como um xamã que viaja para outro mundo. Mais tarde na série, seus “presentes” espirituais estão marcados no nativo americano, Hawk e General Briggs, onde Cooper é finalmente revelado a ser o único que pode viajar para, o que é chamado, de dois mundos, cumprindo o papel do mágico do ” fogo caminha comigo” o famoso slogan abaixo, este é o papel do xamã:

Em Twin Peaks, é a luz no necrotério sobre o lugar onde o corpo de Laura Palmer tinha sido mantido, e que então é visitado por Mike, o homem de um braço só, que recita o poema famoso:

“Through the darkness of futures past
The magician longs to see;
One chants out between two worlds
‘Fire walk with me.”

Em  uma pequena e estranha linha do verso, temos a chave para desvendar o mistério, não só de Twin Peaks, mas praticamente todos os filmes de Lynch: a suspensão das leis normais de tempo (“futuros passado”) e a ideia de que o mágico vive “entre dois mundos.”

A suspensão do evento narrativo linear normal em favor de um conjunto de sonho, alucinação de imagens que estão ocorrendo em toda a quarta dimensão é parte do apelo de Lynch como diretor, e parte do que faz seus filmes tão frustrante ao filmgoer. Sua percepção de que existem dois mundos, e um lugar para ficar entre eles, é o que contribui para a sua aura como um século XXI moderno, iniciado nos mistérios, por que é que os filmes “mistério” são: elucidações do Mistério do núcleo por trás da realidade. (Sinister Forces, Vol. 3, pg. 151)

E isto constitui a solução para Lost Highway, também. Os elementos xamânicos e mágicas aqui em pleno vigor, como Fred é um personagem preso em mundos diferentes psíquicas que parecem se desdobrar e envolver outras psiques, como veremos “.

Para uma interpretação Twin Peaks com precisão, envolve a compreensão da noção de “linguagem crepuscular” ou Sandhyabhasa. É minha opinião que Twin Peaks deve ser lido dessa forma, como se a série em si fosse um texto de yoga, e isso é natural dado de Lynch (e do Agente Cooper) preferência para a meditação oriental. O sábio indiano Vijay Mishra comenta sobre o discurso semiótico ambíguo envolvidos em linguagem crepuscular da seguinte forma:

“Textos tântricos são muitas vezes composta em uma linguagem intencional (Sandhyabhasa), um, escuro, linguagem ambígua secreta em que um estado de consciência é expressa por um termo erótico e o vocabulário da mitologia ou cosmologia é acusado de Hathayogic ou significados sexuais. De acordo com Eliade … ela é traduzida “linguagem enigmática” e Max Muller chamou de “linguagem oculta … .Todos os trabalhos de Sahajayâna estão escritos no Sandhya bhasa … de luz e escuridão … em parte luz, em parte a escuridão; algumas partes podem ser entendidas, enquanto outras partes não pode.” (Devotional Poetics and the Indian Sublime, pg. 221)

Os métodos de sonhos de leitura e visões e presságios de Cooper tornam-se uma visão sobre a metafísica da Twin Peaks. No filme Twin Peaks: Fire Walk With Me, é nos dada a impressão de que o espírito de Laura convocou Cooper para vir e investigar. Consistentemente através da série, Cooper recebe mensagens e pistas a partir deste reino do espírito, ou o que poderia ser chamado com precisão, éter ou reino astral.

Cooper utiliza uma forma de adivinhação por meio da associação livre e sincronicidade.

Enquanto ele dorme, seu eu superior entra neste domínio e se comunica com um elenco variado de tons, variando de Laura Palmer, uma versão jovem de David Lynch, um anão conhecido como “The Man from Another Place” (interpretado por Michael J. Anderson) e um gigante. Canalizando essas entidades, Cooper se desenrola gradualmente o com o script de linguagem crepuscular atrás da cidade Washington arborizada, e nós, os espectadores, embarcamos na mesma viagem iniciática de decodificar o script como Cooper.

Da leitura da simulacros dentro de simulacros, Cooper começa a descobrir o segredo de Twin Peaks e o envolvimento com o mercado negro, onde magnata Ben Horne organiza e controla a prostituição local, jogos e drogas que atravessam seu clube privado, One Eyed Jacks. A nomenclatura aqui é significativo, Nadine só tem um olho, e mais tarde a mesma se dissocia para uma versão mais jovem, bem como possuir força excessiva. Sua psicose inicial e dissociação a uma persona diferente é a chave para Laura Palmer, como veremos.

One Eyed Jack é a localidade de Ben Horne do (interpretado por Richard Beymer), com ligações a organizações mafiosas criminais personificada nos personagens dos irmãos Renault. A rede de Horne inclui a face legítimo de vários negócios na cidade, a partir da Great Northern Hotel, Horne Department Store, enquanto secretamente há um casino e cathouse nas proximidades. Embora não esteja diretamente envolvido no ocultismo, Horne é o empresário arquetípico, que não tinha envolvimento direto no assassinato de Laura Palmer. Enquanto brevemente acusado do assassinato, a realidade circundante entre Laura é muito mais sombria e complexa.

Cooper descobre através da eventual divulgação do diário secreto de Laura que ela havia sido estuprada desde 12 anos por seu pai, Leland (interpretado por Ray Wise) e um espírito chamado “Bob”. Bob é um ex-assassino que tornou-se um demônio na vida após a morte e possui indivíduos, como Leland, e mais tarde Windom Earle, para cometer crimes como a pedofilia e assassinato sacrificial.

O controle do mercado negro é feito através doEyed Jack’s de Ben Horne. Jack é um termo perene para o diabo, e é o único simbolismo de olho que se espelha em Nadine.

Não só existe um mercado negro da prostituição atraindo jovens em pornografia, há também um culto que existe entre a elite em Twin Peaks que antigamente se reuniam em segredo para cerimônias de magia ritual. À medida que a discussão se desenrola, o espírito de Bob serve como soldado de infantaria para o The Man from Another Place, organizando uma cerimônia de casamento oculto para as meninas oferecidos por Leland e outros participantes do culto. Começando com drogas e pornografia, as meninas são atraídas para a prostituição e emergir até mesmo sugestões de snuff filmes.

Atrás do culto, o poder real sombrio atrás Twin Peaks está no Black Lodge. Entre os mundos, o Black Lodge tem uma notável semelhança com as formas irregulares de alvenaria, conhecido como Black Lodges, onde as artes escuras são executadas. The Black Lodge também é mencionado no romance de Crowley, Moonchild, e os relatórios de Lynch pedindo a seus atores para falar e caminhar em sentido inverso para filmar as cenas astrais no alojamento pode ter conotações Crowleyano, também. Tudo isso é contado em detalhe marcante em Twin Peaks, como as visões de Cooper que demonstram um componente de sacrifício humano. Em outras palavras, Bob é uma força demoníaca subserviente ao The Man from Another Place, cujo desejo de “diversão” envolve estupro, pedofilia e assassinato. Também consistente na narrativa, são os homens velhos que têm o seu caminho com as jovens, obedecendo ao pedófilo.

“The one-armed” Gerard/Mike exibindo o anel mágico.

Possuindo indivíduos com a finalidade de realizar esses atos, Bob capta a dor e miséria armazenado no “sangue” de suas vítimas e as derrama como uma oferta sacrificial ao Man from Another Place. Em demonologia perene, este conceito tem muitos precedentes, como os espíritos maléficos se alimentam da dor e do sofrimento das vítimas, parasita. Escritor Justine Smith em SoundandSight.com comenta uma perspectiva estética:

“Então, é claro que temos Bob. Para quem não sabe, a cidade de Twin Peaks é igualmente preenchida por um lodge espírito que viaja ou está de alguma forma envolvido por eletricidade. Um de seus membros, talvez seu líder é Bob, que ameaça Laura ao longo de sua vida. Ela afirma que ele a estuprou desde que ela tinha doze anos e é igualmente violenta. Nesta cena ele não é apenas um forte contraste com o quarto rosa-infantil, mas ele está à procura de seu diário oculto. O fato de que ele espelha a reação dela é outro modo de dobrar comumente os encontrados na obra surrealista, o que sugere uma profunda conexão entre eles, no entanto relutante. Finalmente, temos o final da cena em que o pai de Laura sai da casa. Depois de já ter entrado naquele espaço estamos bastante certo de que ele não estava lá antes. Seria o pai de Laura a mesma coisa que Bob?”

A Garmonbozia/creme de milho é a “comida” da dor e miséria para o ritual de sacrifício.

A resposta é sim à pergunta de Smith. Especificamente no caso de Laura, encontramos seu trauma da juventude de Bob / Leland fez com que a sua psique se dividisse em alteres. Isto é revelado forma explícita e claramente no filme, onde Laura demonstra uma duplicidade da boa menina / menina má, detalhando em seu diário o trauma que ela era incapaz de lidar com a partir das próprias divisões de personalidade de seu pai. Leland, assim como Laura, foi objeto de uma dupla personalidade, com Bob, eventualmente, tomar posse.

Isto é surpreendentemente revelado na condução cena no filme, onde Leland encontra Gerard / Mike usando o anel de culto, funcionando como um “gatilho” para Laura e Leland dissociar. Não só foi Laura atraídas para o campo de exploração da prostituição, ela tinha sido objecto de abuso ritual. A este respeito, a simbologia do anel sugere tanto uma algo demoníaco, com chifres invertidos, bem como um anel, o qual num outro sentido é um grupo ou trama. Ele também exibe os diferentes planos de existência e o portal entre Twin Peaks, em certo sentido, de três níveis: White Lodge, terra e Black Lodge.

Observe ao lado de Cooper o que está pendurado.

O que quase todos os pesquisadores têm faltado é a imagem fundamental na delegacia de polícia, onde no fundo Cooper e Sheriff Harry Truman têm remendado sigilos magia juntos rituais. Presumivelmente ligado às cenas de crime e ex-agente do FBI virou psicopata, Windom Earle, os sigilos de magia ritual são explicadas em um vídeo de Earle descrevendo de como entregou-se do lado sombrio, através do Black Lodge. Os sigilos em Twin Peaks estão em sigilos de fato de Goetia, ou a Chave Menor de Salomão, que se referem especificamente à invocação de demônios. óleo do motor queimada em toda a série é uma referência para a borra de óleo encontradas em Galstonbury Grove, o local do portal na floresta, que inclui uma referência à mitologia do Rei Artur.

Sigilos simbólicos da Goetia para a invocação de demônios.

Earle chega para capitalizar sobre as forças das trevas em Twin Peaks, buscando o portal para o Lodge na floresta. Pairando sobre uma poça de óleo preto, viscoso, o portal é o local de prática ritual antigo, onde os deuses e semideuses são invocados. Lynch parece estar dizendo aqui que a América é uma terra de forças caídas primitivas que regem nossa realidade atual de apenas atrás do véu. Este é também o significado das imagens véu vermelho consistente, que acompanha qualquer entrada do Black Lodge, e as conjunções planetárias e astrológicos que determinam a abertura dos portais para o próximo mundo. “Medo” Cooper diz, abre a porta para o Black Lodge, e amar a porta para o branco.

Também é revelado nesta associação de personagens duvidosos é que, Major Briggs, um místico militar cuja crença nas derivações sobrenaturais para conexões classificadas com o Projeto Livro Azul, é uma pesquisa UFO dos militares. Na realidade, o Projeto Livro Azul foi uma reportagem de capa para testes tecnológico avançado de aeronaves, mas mesmo aqui nós temos uma associação curiosa, como o trabalho classificadas major Briggs envolve pesquisa oculta. Briggs parece ser uma aproximação do tipo de programas reais de Jon Ronson descrito em seu  Men Who Stare at Goats,, onde o alto nível das forças militares e soldados especiais participaram de atividades ocultas através do First Earth Battalion.

No entanto, outro sigilo do outro lado do tabuleiro.

Igualmente relevantes são as histórias recentes de alto nível ocultismo ritual e satanismo envolvendo a elite militar Presidio e EUA. Com as associações de militares de alto nível, magia cerimonial e cerimônias realizadas na costa oeste nos bosques arborizadas, Bohemian Grove vem à mente, já que um dos mais famosos slogans para o show é “As corujas não são o que parecem.” Lynch parece estar insinuando que a estrutura de poder real na farsa novela que é a América é realmente subserviente a forças obscuras além do nosso plano de existência. Subserviente ao demoníaco, a face hipócrita o estabelecimento avança para cobrir os espelhos nefastos o duplo nível de realidade no mundo de Twin Peaks, e o mundo espiritual da Black Lodge que sustenta ele.

Como Earle tenta inventar seu próprio ritual, sacrificando o amor de Cooper, Annie (interpretada por Heather Graham), Earle especifica que deve ser feito no Grove no círculo mágico. Ao entrar no círculo leva ao éter, onde simbolicamente a morte da rainha cumpre simulacro de utilização de cartas de Earle. As cartas  também remontam para One Eyed Jack, onde fortuna e destino são personificados na série como forças espirituais elementares da natureza. Este foco sobre os espíritos elementais é a razão para a Log Lady, cuja suas intros para o show de fornecem pistas consistentes para a narrativa global.

O Lady Log desempenha um papel menor, mas seus comentários sobre sincronicidade, simbolismo, e pistas que apontam para forças da natureza (Logs são de madeira, e, assim, a associação com o hotel e a floresta). No fundo de Twin Peaks temos, portanto, uma mistura dos elementos do mundo clássico: ar, terra, fogo, água e éter.

Este é o foco elementar que explica porque Josie está presa na madeira do Great Northern Hotel, enquanto outros encontram a sua morte em associação direta com fogo ou óleo queimando (a morte de Laura). No mundo antigo, e igualmente verdade do antigo extremo oriente, a natureza não era uma coleção de átomos caóticos que saltam ao redor, mas uma paisagem viva habitado por espíritos incontáveis, anjos e demônios. É esse tipo de mundo que Lynch quer  para plano de fundo de Twin Peaks.

A toponímia mística da terra é estabelecido bem neste gráfico, onde vemos o portal no meio dos 3 planos diferenciados do Lodges e da terra.

O clímax infame da série apresenta um Cooper que perdeu o seu caminho através do medo, com o real Cooper preso no Black Lodge, e Bob possuindo o corpo de Cooper. curiosidade e desejo de conhecimento do além de Cooper, e em particular o lado escuro, levaria à sua morte em muito da mesma forma que Fred Madison em Lost Highway de Lynch. Onde a série começou, com a posse de um homem inicialmente bom, as extremidades da série, com Cooper como um vaso do mal. O que eu descrevi de Madison em Lost Highway é relevante no que diz respeito ao Agente Dale Cooper:

“Lost Highway é, portanto, um não-linear, Neo-noir oculto psico-drama que olha para o lado escuro do submundo Hollywood, onde máfia, pornografia, crime e ocultismo estão entrelaçados em uma história sobre psíquica jornada de um homem por uma perdida estrada de seu próprio fluxo de consciência e de pensamento. Como o espectador viaja com Fred Madison por esta via, somos levados de volta ao mesmo ponto que ele começou, e o ciclo começa novamente. Embalado com o dualismo, ilusão e mistério, Lost Highway é sobre a vida e o lado escuro do nosso próprio submundo interior, o subconsciente, que Lynch misticamente liga à outros “.

Laura e o bom Cooper no Black Lodge.

Se nós não conseguimos perceber a realidade desses males, como a posse e os mistérios do subconsciente, estamos sujeitos a sermos presos como Fred na nossa própria loucura? Seu próprio nome é uma pista – “Madison” (Mad- louco, loucura) simbolizando a sua descida à loucura, como “Alice”, Renee lter, traz à mente Alice no país das maravilhas e mundos alternativos e personalidades. Foi Alice vítima de controle mental como Fred, ou ambos eram cúmplices do mal? Será que a obsessão com o Videodrome e seu primo, a sociedade de vigilância agora onipresente, trás a verdade, ou mais provável uma descida em loucura, despersonalização e dissociação como Fred? De qualquer maneira, Lynch está nos forçando a examinar de que na base, a realidade e a psique ainda são mistérios a serem decodificados.”

Na sequência estranha do final da série, Cooper descobre que Bob possuiu Earle e organizou a última rodada de assassinatos. Earle tenta roubar a alma de Cooper, mas Bob entra em cena para reclamar os seus direitos sobre a alma de Earle. Cooper enfrenta o seu inconsciente, bem como enfrentar a sua responsabilidade pelas mortes passadas. Cooper acaba preso com Annie e Laura no Black Lodge.

Vale notar aqui é que no filme, as viagens iniciais de Laura para o resultado astral em um encontro com Annie, que diz que ela é  com Laura e Agente Cooper.” E, como foi o caso de Mulholland Drive, fenômenos elétricos e cargas estáticas tendem a acompanhar a manifestação de espíritos de outros mundos. Os membros Preto Lodge parecem viajar através de eletricidade, e manifesta na forma física como o vaqueiro em Mulholland.

Concluindo, o retorno de Twin Peaks parece mesmo ter sido previsto através de Laura na Black Lodge há 25 anos. Surpreendentemente, Laura diz um Cooper envelhecido “Eu vou vê-lo novamente em 25 anos”, dando a entender que gostaria de voltar. Com os recentes anúncios de Showtime pegar a reinicialização, podemos esperar uma incursão ainda mais fundo no inconsciente – ambos Laura e Cooper. Se a série retornar ou não, com a série original e filme, temos uma janela surpreendentemente precisas para a América real, uma terra assombrado pelos espíritos primitivos, elementos do passado, e controlado por um culto que adere a estas crenças antigas. A elite do poder norte-americanas realmente são como Ben Horne, subserviente a forças sobrenaturais que não podem controlar, e por trás desse véu de obscuridade encontra-se uma elite oculta, cujo poder parece derivar de uma Black Lodge.

Postagem adaptada, retirada do site Jay’sAnalysis