Acompanhe o TPBR nas redes sociais

Enquanto promovia o filme ‘Divertida Mente’, Kyle MacLachlan respondeu algumas perguntas sobre ‘Twin Peaks’.

O papel do Agente Dale Cooper é um dos mais consagrados do ator Kyle MacLachlan, que também já atuou em diversos filmes e séries, desde ‘Veludo Azul’ até ‘Portlandia’. Kyle explicou que queria voltar a interpretar Dale Cooper desde o final da série, em 1991.

“Bem, estive interessado em voltar para Twin Peaks como o Agente Dale Cooper há um tempo, e sempre que me encontrava com David Lynch, tocava no assunto.” Disse Kyle. “Eu estava sempre comentando sobre isso, dizendo ‘sabe… não seria uma ótima ideia?’ E David sempre escutava, mas isso não estava no topo da lista de seus projetos”

No ano seguinte ao final de Twin Peaks, foi lançado ‘Twin Peaks: Fire Walk With Me’, dirigido por David Lynch.

 

Twin Peaks teve uma conturbada volta para a TV

Twin Peaks teve uma conturbada volta para a TV

O que Kyle MacLachlan não sabia, portanto, era que ele não era o único interessado na volta da série.

“Sem eu saber, David Lynch e Mark Frost se reuniram e começaram a compartilhar ideias alguns anos atrás. Mas ele não revelou nada pra mim até muito tempo depois, e eu fiquei muito animado. Esse é talvez meu personagem favorito dentre os que eu interpretei.” disse Kyle.

O ator não entrou muito em detalhes, mas revelou que as gravações começarão ainda nesse outono (americano).

screen shot 2014-08-29 at 12.45.58 pm

Dale Cooper e Harry Truman em Twin Peaks

Que história será contada na nova temporada?

Isso continua sendo um mistério.

“Eu li alguns materiais,” disse MacLachlan. “Nada que eu possa comentar, mas me deixou bastante animado.”

“Twin Peaks” vai voltar pelo canal Showtime em 2016.

Até lá, poderemos ouvir a voz do querido Dale Cooper no novo filme da Pixar ‘Divertida Mente’, que será lançado dia 18 de junho no Brasil.

 

Fonte original: Business Insider, escrito por Ian Phillips

Tradução: Pedro Ângelo Cantanhêde

 

O mito de como Goaz conseguiu sua grande chance com David Lynch é uma lenda- graças ao entusiasmo de Lynch e Goaz ao contá-lo. “David ama essa história” relata Goaz, “é tão Old-Hollywood”.

Goaz está no lobby do teatro de Oak Cliff’s Texas pensando em comer um donut de café-da-manhã. Seu cabelo acinzentado penteado em um aristocrático rabo-de-cavalo (ele está deixando crescer para um papel), um brilho em seus olhos, que geralmente estão com um olhar de quem contempla sob sobrancelhas ranzinzas, revelam-se cheios de interesse.”A famosa parte da história é que eu fui assistir Blue Velvet, e eu estava saindo da sala com algumas pessoas e estava em choque. Falei para todos que eu ia trabalhar com ele.”, isso em 1986. Em Los Angeles, alguns anos depois, Goaz estava atrás do volante de um sedan, escolhido pela empresa que ele trabalhava por meio-período na época, para levar Lynch até o memorial de Roy Orbison. Lynch era estabelecido, com os sucessos de Ereserhead, The Elephant man, Dune e recentemente com Blue Velvet. Depois de conversar um pouco, Harry contou para o diretor que era um ator, Lynch suspirou, colocou o cinto e disse: “É uma das vidas mais difíceis de se imaginar”, Goaz respondeu com seu sotaque texano: “Bem, é preciso amá-la”. Em primeiro plano, Lynch apenas concordou com a cabeça pensativo, e aí repetiu as palavras que acabara de ouvir: “É, você precisa amá-la”. Ele contrata Goaz.

O trabalho? Um papel como o sensível e adorado policial Andy Brennan na nova, peculiar série Twin Peaks. Um estranho e excêntrico trabalho estrelado por Kyle MacLachlan que interpreta um agente do FBI indo para uma pacifica cidade no noroeste que virou de baixo pra cima após o assassinato da garota mais popular da escola. A série estreia em 1990 e se torna um sucesso cult, tinha verdadeiras marcas Lyncheanas, com toque surreais: cenas gravadas de trás pra frente; anões que dançam; uma vidente log lady que lê troncos; sequências com sonhos mirabolantes. A série tem duas temporadas e se destacou em 1992, dando espaço para o filme Twin Peaks: Fire Walk With Me. Goaz estava no cast, filmou algumas cenas com David Bowie, mas Lynch lança o corte final do filme e essas cenas não aparecem. “Eles ficaram enrolando, no final das contas nem apareço no filme” relata ele.

Ano que vem, após 25 anos, a taciturna música que fica nas nossas cabeças por horas está de volta e com ela a carreira de Goaz pode voltar completamente. Lynch e o co-criador da série Mark Frost estão escrevendo a continuação de Twin Peaks, que volta em 2016. Goaz está conversando com Lynch, mas nada pode ser confirmado, enquanto isso, Lynch nos mantém atualizados sobre as novidades da série no twitter. Você pode segui-lo aqui.
//

O retorno da série também pode ser um retorno para Goaz, que se recusa a revelar sua idade e apenas diz que esta tem sido informada errada por anos. Depois de não atuar durante anos, alguns projetos estão começando a surgir, recentemente ele foi escolhido para fazer um episódio piloto de uma série que retrata o mundo das artes. “Eu não assisto TV normalmente, então não sei exatamente com o que parece a série” diz ele “É uma espécie de House of Cards, porém sobre o mundo das artes. Vai mostrar o quão terrível esse mundo é. Onde todos estão apenas pensando em negócios. ” (Na verdade, Harry é obcecado por arte e tem uma coleção impressionante). Ele também filmou um episódio piloto de uma nova série que se passa em Albuquerque (o que cai bem, já que ele tem que dividir seu tempo entre uma chácara em New Mexico e um apartamento em Dallas). Além disso, ele também estréia este mês em um curta-metragem para a revista FD, Figurehead. 

Pela manhã, durante os ensaios, Harry anda lentamente pelo corredor, passando pelas cortinas vermelhas, observando a história do teatro. Foi lá que Lee Harvey Oswald foi preso pelo assassinato de John F. Kennedy. Ele analisa o enorme e vazio auditório, aperta um pouco os ombros, “Isso me deu arrepios”.

Harry diz que sempre soube que sua vida seria diferente de alguma maneira. Ele era uma pessoa de espírito livre, talvez livre demais, com 15 anos ele foi para uma centro de reabilitação de drogas, ele lembra de ter sido “trancado” ao lado do famoso guitarrista de blues Johnny Winter, parece que até adolescente Harry tinha algum chamado para ficar perto de estrelas.

Harry no set de “Figurehead”. Foto de Peter Salisbury.

Ele se recuperou, voltou para a escola e entrou para a Universidade do Texas em Austin, para estudar artes, porém, seu coração estava voltado para a atuação e ele seguiu um amigo para a Costa Oeste. “Me mudei no dia da mentira para L.A” ele declara “E isso não estava perdido em mim”.  Ele fez aulas de teatro e teve empregos diferenciados. Goaz resume L.A dessa maneira: “Todos lá são sonhadores, e todo mundo lá é de algum lugar. Tem algo sobre ficar lá que fez sentido. Todos queriam algo: algo maior do que eles mesmos.”

Antes de seu sucesso em Twin Peaks, Goaz já tinha se topado com Lynch, ele diz que tinha sido escolhido pelo produtor Dino De Laurentiis para fazer parte do cast de uma dark comedy co-criada por Lynch chamada One Saliva Drop, o projeto foi cancelado pois a produtora faliu, mas Lynch havia passado pela headshot preto-e-branco de Goaz, que estava pregado na parede, várias vezes (ele não reconheceu-o quando era seu motorista depois). Goaz declara que Lynch é um dos artistas que ele tem medo: o outro é David Bowie. “Eu tenho tanto a ganhar tendo um certo medo deles e também ser um admirador, um fã”, ele declara, e sua voz fica quase um sussurro “Isso soa estranho? Porque podendo admirá-los e apreciá-los, eu poderia chorar, me completa tanto ter essas duas pessoas que admiro tanto como artistas sendo meus amigos. Eles se tornam tão reais”. Porém, Hollywood pode ter sido real demais, após Twin Peaks, Goaz segue a carreira como outro policial na série da NBC Eerie, Indiana. Ele continuou e fez alguns filmes indies, dentre eles The Underneath de Steven Soderbergh, eventualmente ele se encontrou preferindo ficar longe das câmeras no deserto do Novo Mexico. Ele criou uma produtora, Angel Lair Ranch, para desenvolver seus próprios projetos, por um tempo ele tentou fazer um filme com os contos curtos de seu autor preferido, Paul Bowles, autor de The Sheltering Sky, mas não deu certo.

O que Goaz realmente não esperava era cruzar caminhos com a cantora de retro-pop Lana del Rey. A cantora é conhecida por ter uma certa obsessão com David Lynch, usando camisetas de Twin Peaks; fazendo um cover de Blue Velvet para um comercial da H&M; e colocando easter-eggs das produções de Lynch em seus vídeos, como se para passar uma mensagem para Lynch, este falou para um repórter quando perguntaram sobre ela: “Lana del Rey, ela tem um carisma fantástico e – tem algo interessante – parece que ela nasceu em outra época”. Há algum tempo, o vídeo de Lana “West Coast”, de seu último álbum Ultraviolence, encontrou-se com uma espécie de característica pertencente a Harry Goaz: o famoso corte de cabelo ao estilo tall-bang-and-mullet do policial Andy Brennan. Harry relata que seu twitter subiu de uns poucos cem seguidores para 361 mil. Ele então ficou obcecado com a cantora á sua maneira, constantemente twittando suas letras e tentando se comunicar com ela via hashtags.

Goaz não é de fazer planos, ele fez um para sua carreira de atuação, ele vai tentar pra valer durante 10 anos; depois, ele vai observar e ver como as coisas estarão. Ele começou a ter uma nova perspectiva sobre a arte de atuar: “Eu costumava pensar que atuar era algo nobre, agora eu entendo que atores são verdadeiras prostitutas.” ele balança sua cabeça, realizando o efeito do que acabara de dizer “Eles são. Eu acredito que para muitos atores algo está faltando, tem um espaço, e atuar é algo propício a enchê-lo”.

Se quiser assistir o curta metragem que Goaz fez para a FD, clique aqui.

 

Fonte original: FDLuxe, escrito por Christopher Wynn.

Tradução: Yasmim Gebrim Rodrigues

Algumas vezes, o mistério da morte. O mistério da floresta. Os bosques que rodeiam Twin Peaks.”  Log Lady.

O universo TP – aparentemente – gira em torno de dois Lodges: preto e branco;

Em primeiro lugar, não há nenhum ‘White Lodge’ (WL), pelo menos não no sentido de haver um lugar separado de Twin Peaks, da mesma forma que há uma ‘Black Lodge’ (BL). Na verdade, Twin Peaks é a White Lodge (ou, pelo menos, costumava ser).

A melhor fonte de informação que temos sobre os Lodges é Windom Earle, uma vez que ele passou a maior parte do tempo pesquisando-os. Quando ele os descreve  para Leo (ep26), ele diz: “Era uma vez lá era um lugar de grande bondade chamado  WL.” Note que ele usa o tempo no passado aqui e em outros lugares referentes ao WL,  ele então passa a descrever o WL, que é um paraíso idílico – o jardim do Éden; “Filhotes suaves cambalhotam em meio de espíritos felizes, rindo. Os sons de inocência e alegria enchem o ar. E quando chovia, chovia doce néctar que infundiu o coração com o desejo de viver a vida de verdade e beleza.” Earle está descrevendo TP como era antes, um lugar de perfeita harmonia. Mas esse lugar não existe mais.

“Mas, estou feliz de salientar que a nossa história não termina neste lugar miserável do excesso de sacarina, pois há outro lugar, o seu oposto:  Um lugar de poder quase inimaginável, repleto de forças das trevas e segredos viciosos. Orações não se atrevem a entrar neste lugar assustador. “ Note que aqui Earle utiliza o tempo no presente para sugerir que o BL usurpou o poder do WL.

Essa interpretação está em desacordo com os pontos de vista comuns que: 1) os Lodges existem separadamente do nosso mundo, ou 2) ambos Lodges são realmente o mesmo local físico.  Acredito que o primeiro é errado, porque as duas últimas linhas do poema de estado Mike: ” One chants out between two worlds, Fire walk with me”

 Isso indica que o canto só funciona entre dois mundos – se ambos dos Lodges fossem independentes da Terra que faria três mundos (claro, é possível que o poema só faz referência ao  BL  e não ao WL, além disso, Annie Blackburn, que faz uma série de declarações significativas em sua breve aparição, diz Coop “Cada floresta tem sua sombra” (ep28), que faz alusão ao BL como uma sombra por conta própria do WL – porém Earle é muito claro na descrição dos Lodges (e de como são separados) ele diz  que BL “é tangível, e como tal ele pode ser encontrado e utilizado” (ep27).

O WL e BL existiu desde o início dos tempos. Twin Peaks passa a ser o local da WL, que passa a ser em nosso mundo e em nosso tempo-espaço. O BL também tem um ‘local’ físico, embora seja em um plano temporal e espacial diferente. Ambos os mundos são completamente independentes um do outro, mas, ocasionalmente, há pontos no tempo e no espaço em que portões  físicos abrem-se  entre os mundos – conforme representado pelo petroglyph na caverna da coruja. Coop tenta explicar o fato de que o tempo para cada Lodge é independente para o Xerife Truman. O tempo no BL não progride de forma linear (e vice-versa). Isto se tornará importante mais tarde.

Assim como existem espíritos que habitam a BL, há espíritos no WL. Os espíritos WL ainda existem na floresta, mas eles têm muito pouco poder em nosso presente. Em algum momento na história os poderes  do WL sobre TP  estavam possuídos por espíritos do BL. Na verdade, somos informados precisamente quando isso ocorreu, novamente por Earle. Foi quando os Dugpas começaram a experimentar os poderes que eles poderiam ganhar através do BL. Os espíritos no BL dão  parte de seu poder sobre as Dugpas em troca de uma entrada para a floresta de TP. O poder do Dugpas foi realmente uma ilusão – os espíritos BL estavam explorando-os a aumentar seu próprio poder. Os espíritos BL não são capazes de cruzar entre os dois mundos à vontade – eles precisam de um “convite especial”: as palavras ditas “Fire Walk With Me”. Quando essas palavras são faladas, um espírito pode atravessar de um Lodge para o outro. Então, em troca de certo poder, os Dugpas deram aos espíritos a oportunidade de entrar no WL através de seus cantos, e eles também forneceram aos espíritos o medo de que eles precisam para sobreviver fora do BL.

Aliás, é por isso que Mike recita repetidamente o poema: ele quer permitir BOB para entrar em seu mundo, de modo que não possa haver um confronto. É também por isso que o braço de Philip Gerard tinha uma tatuagem do escrita  FWWM (Fire walk with me) – as pessoas muitas das vezes viam a tatuagem, e naturalmente liam, dando assim acesso frequente ao nosso mundo para que Mike podesse habitar o corpo de Gerard. Quando Mike não queria mais parceiro BOB, ele cortou o braço para impedir o fácil acesso, tornando-se o inimigo de BOB – mais tarde. Quando BOB mata Laura Palmer, ele deixa a frase “FWWM”  escrita em um pedaço de papel  fazendo com que ele possa ser capaz de voltar quando a nota é encontrada.

Desde a ascensão dos Dugpas, os espíritos WL se tornaram cada vez mais impotentes. Agora, sua única esperança de conquistar os espíritos da BL é recorrer a ajuda de seres humanos excepcionais, nomeadamente O Major. Quando os espíritos tomou conhecimento das atividades do Projeto Bluebook, eles viram uma oportunidade de atrair alguma ajuda. Eles começaram a sinalizar a equipe Bluebook para levá-los para a floresta. Eles atraíram o que era  necessário, quando o Major Briggs tornou-se  envolvido, eles também atraíram  o oposto do que era necessário com a chegada de Earle.

Major Briggs e Earle são as duas pessoas excepcionais, um é puramente bom, enquanto a outra puramente mal. Lembre-se que quando Coop investiga fazenda Dead Dog (ep19) o agente imobiliário diz a ele da lenda da fazenda: “De todas as pessoas no mundo o melhor e o pior são atraídos para Dead Dog… A maioria afasta  apenas o mais puro de coração, que  pode sentir a sua dor. E em algum lugar no meio, o resto de nós lutamos”. Isto está de acordo com a outra lenda local (dita ao Coop no EP18 pelo Hawk): “O meu povo acredita que a White Lodge é um lugar onde os espíritos que regem  ao homem e a natureza aqui residem. Há também uma lenda de um lugar chamado de Black Lodge … a sombra do White Lodge. A lenda diz que todo o espírito deve passar por lá no caminho para a perfeição. Lá, você vai conhecer a sua própria sombra … por conta própria. Mas se você enfrentar o Black Lodge com coragem imperfeita, ele totalmente aniquilará a sua alma”.

Juntas, essas lendas sugerem a ideia da progressão da alma. Em algum lugar no meio, a maioria de nós luta, mas, provavelmente, através da reencarnação, temos a chance de aumentar gradualmente a pureza de nossos corações (que poderia se referir a boa puro ou para o mal). Quando o coração é suficientemente puro e for enfrentado com coragem perfeita no BL, sua alma passa para a perfeição. Se não, a alma é aniquilada. Major Briggs e Earle ambos foram atraídos para TP, embora a pureza em cada um de seus corações é muito diferente.

Major Briggs  passou a  ser usado pelos espíritos WL, na tentativa de se infiltrar no BL. Eles necessitam de alguém excepcional, e de coragem perfeita para que eles possem a  entrar sem ser aniquilados. De tempos em tempos, Major Briggs é raptado pelos Espíritos WL, isso acontece quando ele desaparece do parque de campismo com Coop (EP17). Esses eventos  já haviam acontecido muitas outras vezes  (como revelado por sua esposa em EP18). Parece que o Major está sendo enviado para o BL, provavelmente, em uma espécie de missão. Quando ele retorna, os espíritos WL tomam suas experiências para aprender como eles podem entrar no BL,  deixando o Major Briggs sem memória do que aconteceu.

 

Twin Peaks vai voltar em 2016, e estamos sempre especulando quem do elenco original voltará para a terceira temporada. Infelizmente, alguns dos atores que tanto amamos já faleceram, portanto, não voltarão ano que vem. Veja alguns deles:   (SPOILERS)

Jack Nance (Pete Martell)

X_2574f1b8Pete Martell é com certeza um dos personagens de Twin Peaks mais amado do público, e sua morte surpreendeu a todos, mas em 1996, 5 anos após o final da série, Jack Nance faleceu. Sua morte até hoje é um mistério. Boatos dizem que ele estava alcoolizado e participou de uma briga, sofrendo traumatismo craniano.

 

 

Frank Silva (Killer BOB)

washington-twin-peaks-killer-bob-faceFrank Silva entrou para o elenco de Twin Peaks por pura sorte/loucura/criatividade do Lynch. BOB é um dos personagens mais assustadores de séries de todos os tempos. Pórem, Frank faleceu em 1995, em decorrência da AIDS. Uma dos anúncios mais esperados da terceira temporada de Twin Peaks é de quem interpretará o icônico assassino.

 

 

Hank Worden (sem nome)

d8be725f67a416f83d220715988ae6f1Para quem não sabe, quando jovem, Hank Worden fez dezenas de filmes de cowboy com John Wayne. Já em Twin Peaks, ele fez um dos personagens mais misteriosos da série. Ele faleceu em 1992, aos 91 anos, de causas naturais.

 

 

 

 

 

 

Don S. Davis (Major Briggs)

5qdvA-2Don Davis interpretou o Major Briggs em Twin Peaks, pai do Bobby Briggs. Ele teve grande importância nos episódios finais da série, com toda suas pesquisas e experiências no White/Black Lodge. Ele faleceu em 2008, devido a um infarto agudo do miocárdio.

 

 

 

John Boylan (Prefeito Dwayne)

MilfordO Prefeito Dwayne apareceu pouco na série, mas todas suas aparições foram boas. Desde seus problemas de relacionamento com seu irmão, até o amor com a Lana, ficaram marcados em Twin Peaks. John faleceu em 1994 de causas naturais.

 

 

 

 

 

Jane Greer e James Booth

UntitledA mãe da Norma e seu esposo também participaram de poucos episódios, mas tiveram boas participações. Ambos tiveram boa carreira no cinema quando eram mais novos. Jane faleceu em 2001, e James em 2005.

 

 

 

Dan O’Herlihy (Andrew Packard)

Screen shot 2014-10-06 at 12.39.35 PMUma das maiores surpresas de Twin Peaks foi quando descobrimos que Andrew Packard, esposo da Josie, estava vivo o tempo inteiro. Na minha opinião, a cena da morte da Josie foi horrível meio tosca, mas sua história continua sendo um dos principais arcos da série. Dan faleceu em 2005, aos 85 anos, de causas naturais.

 

 

Esses são os atores de Twin Peaks que infelizmente já estão no White Lodge. Esperemos para ver o que os roteiristas vão fazer com esses personagens (aqueles que não morreram).

 

A produtora deste projeto, Kait Reno Shah, entrou em contato conosco contando mais sobre o Logging Town, que é um projeto independente e muito interessante.

Mas o que é o LT?
O Logging Town é um filme independente feito por Ernest (diretor) e Kait (produtora), que mostra a perspectiva de um fã assistindo a série. Um filme para fãs, pelos fãs e feito por fãs. Foi iniciado em agosto de 2014 e a previsão das gravações deve começar em julho deste ano. Ela nos contou que a equipe foi montada por eles e estão trabalhando de graça, e mais de 5.o00 dólares já foram investidos.

Sinopse:

“O que o filme é sobre Northwest Passage e é visto a partir das perspectivas dos dois únicos hosts. David é um grande fã de Twin Peaks e vai visitar praticamente todos os locais de gravações da série. Shelly nunca viu Twin Peaks e vai visitar North Bend, a fim de encontrar os melhores hotéis, lugares para comer, visitar e mais. Todo fã de Twin Peaks terá um guia completo para visitar a área de Snoqualmie. Mas Shelly também vai estar assistindo Twin Peaks pela primeira vez com esta viagem e nós estaremos gravando suas reações e pensamentos.”

E o mais legal: Eles irão disponibilizar boxsets do filme contendo algumas coisas bem legais, e será oferecido a um preço pré-encomenda com desconto para os fãs de TP e, em seguida, irá custar US$250 no varejo quando o filme for lançado. E eles enviarão uma dessas boxsets para sorteamos aqui no Twin Peaks Brasil, então fiquem ligados!

11125610_10100766440718784_818158202_n

O boxset contém o blu-ray, um cartaz de edição limitada, uma rocha selado de Snoqualmie Falls, limitada a 250 peças, oferecido em uma caixa de madeira com o nome do fã ‘queimada’ na madeira, a trilha sonora, e uma série de fotos limitadas tiradas dos locais de filmagem por um fotógrafo profissional!

E cada pessoa que doa a partir de $8 vai estar no filme de uma forma ou de outra, onde a meta deles é de arrecadar 9300 dólares para o funcionamento do filme. Saiba mais aqui.

O filme terá um tempo de execução de 2 horas com uma liberação Blu-ray até dezembro de 2015.

Quer ajudar? Doe dólares para a construção do filme aqui, e para saber mais informações sobre este projeto clique aqui.

#damnfine