Acompanhe o TPBR nas redes sociais

Tag: ‘twin peaks’

Hoje (11/08) aconteceu a coletiva de imprensa do TCA (Television Critics Association), em que vários canais de televisão norte americanos soltam informações sobre suas futuras estreias para a imprensa. Havia muita expectativa de que os executivos do Showtime, David Nevins e Gary Levine, revelariam alguma coisa substancial sobre a terceira temporada de Twin Peaks, como a data de estreia ou o número de episódios. Infelizmente, a dupla “revelou” basicamente informações que já sabíamos e exibiu um novo vídeo promocional, que segundo fontes não teve nada de muito novo, apenas imagens de shots externos (a cachoeira, a delegacia, policiais andando em câmera lenta) mescladas com entrevistas curtas com alguns membros do elenco (Kyle MacLachlan, Kimmy Robertson, Miguel Ferrer, Robert Knepper, Jim Belushi, Dana Ashbrook, Harry Goaz e James Marshall). Ficamos na torcida para que o vídeo seja colocado na internet em breve.

No mais, Nevins e Levine disseram não ter ideia (ainda!) de quantos episódios serão e que Lynch está completamente imerso no trabalho de edição que irá moldar a nova temporada. Sobre a data de estreia, eles esperam colocar a série no ar na primeira metade de 2017. Isso desmente a informação que Ray Wise soltou na Comic Con, de que seriam 18 episódios e que a temporada estrearia durante o verão norte americano (de junho a agosto).

Nada relacionado à Twin Peaks será convencional. Tanto a forma que vamos lidar com o seriado quanto a forma que vamos promovê-lo será inconvencional. Eu quero muito aderir à excentricidade da série. É bem possível que não vamos lançá-la de uma maneira tradicional. Ainda não sei o que isso significa. Já tive algumas conversas com David, mas eu quero aderir à imprevisibilidade da coisa. Eu consigo imaginar episódios mais longos ou…será uma questão de como soltamos os episódios linearmente? Como vamos soltar os episódios para quem deseja assistir por stream? Talvez tenha uma diferença nas duas coisas.” Nevins falou aos repórteres.

Bastante curioso não? Será que a nova temporada irá inovar também na forma em que será exibida? Muito mistério…

Hoje o site de entretenimento Moviefone publicou uma entrevista com o ator Robert Forster, em que o ator foi questionado sobre Twin Peaks e comentou sobre sua experiência trabalhando com David Lynch. Forster já está confirmado no elenco da nova temporada e já trabalhou com Lynch em Cidade dos Sonhos. Há boatos que o ator assumiu o papel de Xerife Truman, que originalmente foi do ator Michael Ontkean. Por razões desconhecidas Ontkean não pôde retornar ao seriado para reprisar o papel.

Sabe-se também que o papel originalmente deveria ter sido de Forster, que na época estava comprometido com outro projeto e teve que recusá-lo.

Separamos abaixo o trecho da entrevista em que o ator foi questionado sobre Twin Peaks.

E você tem mais um personagem de uniforme chegando, um policial, em “Twin Peaks” de David Lynch. O que esse trabalho teve de empolgante, ou talvez de assustador, já que você está ocupando o papel que foi de outro ator?

Bem, primeiramente, eu estou sob a compulsão de não poder comentar esse trabalho. Eu posso agora confirmá-lo já que anunciaram que estou no seriado — juntamente com 216 atores. Que elenco enorme! David Lynch, que grande pessoa ele é. Ele queria ter me contratado para a série original, 25 anos atrás, mas eu estava comprometido com o piloto de uma série que acabou não se realizando. Então não participei da série original, o que com certeza teria mudado minha vida. Se você relembrar a época foi um hit gigantesco, um fenômeno. Mas não participei.

Tempo depois ele me contratou para “Cidade dos Sonhos”, que seria uma série de televisão, mas não deu certo. A série não casou com a programação. Então ele comprou os direitos, filmou mais algumas coisas e transformou-a em um filme maravilhoso. E dessa vez eu recebi uma ligação dos meus agentes e eles disseram que David Lynch iria me ligar. Ele me ligou e cinco minutos depois ele disse “Eu gostaria que você viesse e trabalhasse comigo de novo” e eu respondi, “O que quer que seja David, estou a caminho”.

Então apesar de não poder comentar minha participação, posso te falar que ele é um dos grandes artistas desse meio, e ele faz coisas que… quando ele precisa de algo, todo mundo se esforça e faz acontecer. O que mais? Ele é uma dessas pessoas que, durante a gravação, você escuta dizer “ação”, “corta” e o escuta também remoendo seus pensamentos por alguns minutos, e todos ficam em silêncio esperando o que ele vai dizer. E às vezes ele diz, “vamos gravar de novo” ou então ele diz, “Okay, deu certo. Vamos em frente”. Esse é um cara que reconhece quando filmou uma grande cena e que segue em frente. É uma modalidade artística reconhecer a força de uma cena gravada, ou se a cena irá ou não satisfazer suas necessidades.

Ele é um artista, e não existem muitos. Alexander Payne também. Eles são boas pessoas e bons diretores. E Quentin [Tarantino] também. Nossa, eu trabalhei com ótimos diretores, desde John Huston, Robert Mulligan e muitos outros. O que posso dizer? Trabalhar com David foi uma grande alegria, e espero viver o suficiente para ter a chance de fazê-lo novamente.

Leia o texto original aqui.

O site de notícias Entertainment Weekly entrou essa semana em contato com a atriz Piper Laurie, que interpretou Catherine Martell nas duas primeiras temporadas de Twin Peaks, para que Laurie comentasse a ausência de seu nome na lista de atores que compõe o elenco da nova temporada. De acordo com o site, a atriz declarou não ter sido chamada de volta. 

“Eu deixei muito claro para David e para a equipe que adoraria voltar. Tive uma experiência maravilhosa na série original e ganhei vários prêmios. Estou surpresa e não tenho idéia por que não fui chamada de volta”. A atriz, que já foi indicada ao Oscar três vezes, comentou que só soube que o revival estava acontecendo pelas notícias que saíram na imprensa. “Eu mandei um recado para David dizendo que adoraria voltar, mas acho que grande parte do material do qual eu fazia parte não envolvia os aspectos mais sombrios do seriado, e eu imagino que é esse caminho que David e Mark estejam tomando, eu sinceramente não sei. Minha personagem estava no lado mais bobo, cômico”. Porém a atriz comentou sobre o revival de maneira otimista e bem humorada: “Claro que vou assistir [os novos episódios]. Acho que David irá explorar novos territórios. Ele é muito aventureiro, e tem uma mente maravilhosa. Não tenho motivos para achar que não será um grande sucesso”

Entertainment Weekly também tentou entrar em contato com as atrizes Joan Chen (Josie Packard), Heather Graham (Annie Blackburn) e com o ator Michael J. Anderson (anão) para comentários. 

Uma fonte próxima de Joan Chen contou ao site de notícias que Lynch e Mark Frost tentaram encontrar um meio para que ela voltasse. Lynch não conseguiu encontrar algo pra ela e Piper Laurie que fizesse sentido. Eles conversaram, mas não conseguiram encontrar um meio pra ela voltar. Ela não ficou zangada. Se ela estivesse envolvida, faria um comentário.

Já Heather Graham e Mike Anderson preferiram não fazer comentários. Estranho, sendo que Graham já comentou em uma entrevista há alguns meses não estar envolvida no revival, enquanto que Anderson não foi nada discreto ao postar em seu Facebook seus desentendimentos com o canal Showtime que o fizeram desistir de retornar.

 

“Querido Diário, Acabei de ter um sonho que me fez acreditar que não vou dormir esta noite. Eu estava no quarto. Estava completamente vazio, e eu me sentia mal por isso. Era como se a culpa fosse minha por não ter nada nele. Eu estava encolhida a um canto do quarto, olhando para aquele ponto na outra extremidade, porque sabia que alguma coisa iria aparecer, logo, logo. Pouco depois comecei a sentir muito frio. Achei que tinha visto alguma coisa, mas desapareceu. Então olhei adiante porque estava tentando encontrar a porta que dava para o outro quarto, porque queria ver se havia móveis lá. Eu me sentia muito mal por alguma coisa e queria entender, para que eu pudesse parar de me sentir tão… culpada. Acho que era isso o que eu sentia: culpa…”

Lançado pela primeira vez no Brasil pela editora Globo em 1991, O Diário Secreto de Laura Palmer (um complemento para a série), escrito pela filha de David, Jennifer Lynch, volta as estantes pela mesma editora com uma nova capa este ano após de muito tempo fora de estoque e apenas sendo encontrado em sebos, estante virtual, mercado livre etc.

combine_images

Capa da primeira edição e a nova capa.

Na época quando lançado, muitos acreditaram e alguns acreditam na estória que abalou Twin Peaks. A rainha do baile que foi brutalmente assassinada aparentemente sem motivo algum… e que no fim ela não aparentava o que fingia ser.

Quem matou Laura Palmer?

COMPRE AQUI:

Livraria Cultura 
FNAC
Livraria da Folha
Saraiva

PARTICIPE DO SORTEIO!

O número três é um número importante na Sala de Espera (The Waiting Room). Há três cadeiras, três espíritos, três lâmpadas e três círculos principais de luz. Em todas as cenas na Sala de Espera, há sempre três espíritos na sala. Na sala há também uma das três partes do espaço extradimensional; os outros dois são The Black Lodge e The White Lodge.

tumblr_m74v00HWXh1rwnwnfo1_1280